Mambembe: Profissão Artista!

REALIZADO EM 2018

Histórico: “Mambembe: Profissão Artista” foi selecionado para receber orientação do Programa de Qualificação em Artes- Projeto Ademar Guerra do Governo do Estado de São Paulo, que tem como ação principal a orientação artística a grupos de teatro do Estado de São Paulo durante 2018.  Estreia em maio de 2018, na 10ª Mostra Sérgio Nunes de Artes Cênicas de Ourinhos-SP. Participou ainda dos seguintes Festivais: 14º FESTAR- Festival de Teatro de Bernardino de Campos-SP, III Mostra Fênix de Linguagens Cênicas de Tupã-SP, onde recebeu indicação de melhor figurino e prêmio de melhor ator revelação para Lauro Zimmermann, e Mostra de Teatro do Programa de Qualificação em Artes em Garça-SP.

Ficha Técnica:

Direção e Adaptação do Texto: Karina Zimmermann.

Texto Original: Artur Azevedo e José Piza.

Orientação do Projeto Ademar Guerra: Tico Faria.

Assistência Musical: Mariana Vita.

Cenário: Karina Zimmermann. Execução: João Batista.

Figurino: Karina Zimmermann com apoio do Grupo. Execução: Equipe de costura da Escola de Bailado de Ourinhos.

Produção: Karina Zimmermann.

Fotografia: Gustavo Gomes.

Grupo Panela de Expressão.

Elenco: Adriana Burani, Aline de Faria, Arthur Falcão, Carol Toalhares, Gustavo Gomes, Heloisa Gama, Herllon Ataliba, Jaime Ciró, José Borges, Lauro Zimmermann, Lays Manfredi, Leandro Bertola, Luan Zambido, Maikon Zambido, Mayara Gomes, Marcelo Sanoli, Miriam da Silva, Rafael Pavan, Rodrigo Miranda, Tiago Duarte.

Sinopse: A peça foi escrita e se passa no início do século XX, em 1901 e, para esta montagem, foi adaptada para espetáculo de rua. A história conta, de forma divertida, uma turnê de um grupo de teatro Mambembe, ou seja, uma companhia nômade, que se aventura pelo interior do Estado do Rio de Janeiro, na época ainda Capital Federal. Em alguns lugares as atrizes e os atores são mal recebidos, em outros são carinhosamente acolhidos. Durante o percurso, vivenciam o prazer do imprevisto, o esforço e a luta do artista brasileiro. Infelizmente esta situação continua ainda hoje, mais de um século depois! Mas o amor a esta arte, tão antiga, tão completa e tão estonteante, nos dá força para continuar! Evoé!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>